Sunday, December 31, 2006

RECEITA DE ANO NOVO




Carlos Drummond de Andrade




Para você ganhar belíssimo Ano Novo

cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,

Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido

(mal vivido talvez ou sem sentido)

para você ganhar um ano

não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,

mas novo nas sementinhas do vir-a-ver,

novo até no coração das coisas menos percebidas

(a começar pelo seu interior)

novo, espontâneo, que de tão perfeito se nota,

mas com ele se come, se passeia,

se ama, se compreende, se trabalha,

você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,

não precisa expedir nem receber mensagens

(planta ou recebe mensagens? passa telegramas?)

Não precisa fazer lista de boas intenções

para arquivá-las na gaveta.

Não precisa chorar de arrependido pelas besteiras consumadas

nem parvamente acreditar

que por decreto da esperançaa partir de janeiro as coisas mudem

e seja tudo claridade, recompensa,

justiça entre os homens e as nações,

liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,

direitos respeitados, começando

pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um ano-novo que mereça este nome,

você, meu caro, tem de merecê-lo,

tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,

mas tente, experimente, consciente.

É dentro de você que o Ano Novo

cochila e espera desde sempre.


Saturday, December 30, 2006


De cara lavada

Hoje me desfiz dos meus bens
vendi o sofá cujo tecido desenhei

e a mesa de jantar onde fizemos planos
o quadro que fica atrás do bar

rifei junto com algumas quinquilharias
da época em que nos juntamos

a tevê e o aparelho de som
foram adquiridos pela vizinha
testemunha do quanto erramos

a cama doei para um asilo
sem olhar pra trás e lembrar
do que ali inventamos

aquele cinzeiro de cobre
foi de brinde com os cristais

e as plantas que não regamos
coube tudo num caminhão de mudança

até a dor que não soubemos curar
mas que um dia vamos.

Martha Medeiros

Wednesday, December 27, 2006


LIBERDADE

Ai que prazer
Não cumprir um dever,
Ter um livro pra ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura.

O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quando há bruma.
Esperar por D.Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

O mais que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...

Fernando Pessoa

Wednesday, October 18, 2006

Thursday, September 21, 2006

Vinicius, o poeta dos poetas


DESALENTO

Sim, vai e diz
Diz assim
Que eu chorei
Que eu morri
De arrependimento
Que o meu desalento
Já não tem mais fim
Vai e diz
Diz assim
Como sou
Infeliz
No meu descaminho
Diz que estou sozinho
E sem saber de mim

Diz que eu estive por pouco
Diz a ela que estou louco
Pra perdoar
Que seja lá como for
Por amor
Por favor
É pra ela voltar

Sim, vai e diz
Diz assim
Que eu rodei
Que eu bebi
Que eu caí
Que eu não sei
Que eu só sei
Que cansei, enfim
Dos meus desencontros
Corre e diz a ela
Que eu entrego os pontos

Vinicius de Moraes

Thursday, September 07, 2006



70 anos entre balões e flores! Posted by Picasa

Thursday, August 24, 2006

Poema de Adalgisa Nery


POEMA DA AMANTE

Eu te amo
Antes e depois de todos os acontecimentos,
Na profunda imensidade do vazio
E a cada lágrima dos meus pensamentos.
Eu te amo
Em todos os ventos que cantam,
Em todas as sombras que choram,
Na extensão infinita dos tempos
Até a região onde os silêncios moram.
Eu te amo
Em todas as transformações da vida,
Em todos os caminhos do medo,
Na angústia da vontade perdida
E na dor que se veste em segredo.

Eu te amo
Em tudo que está presente,
No olhar dos astros que te alcançam
E em tudo que ainda está ausente.
Eu te amo
Desde a criação das águas,
Desde a idéia do fogo
E antes do primeiro riso e da primeira mágoa.
Eu te amo perdidamente
Desde a grande nebulosa
Até depois que o universo cair sobre mim
Suavemente.


Do livro: “Mundos oscilantes"

Thursday, August 10, 2006


A Flor do Maracujá

Pelas rosas, pelos lírios,
Pelas abelhas, sinhá,
Pelas notas mais chorosas
Do canto do Sabiá,
Pelo cálice de angústias
Da flor do maracujá !

Pelo jasmim, pelo goivo,
Pelo agreste manacá,
Pelas gotas de sereno
Nas folhas do gravatá,
Pela coroa de espinhos
Da flor do maracujá.



Pelas tranças da mãe-d'água
Que junto da fonte está,
Pelos colibris que brincam
Nas alvas plumas do ubá,
Pelos cravos desenhados
Na flor do maracujá.

Pelas azuis borboletas
Que descem do Panamá,
Pelos tesouros ocultos
Nas minas do Sincorá,
Pelas chagas roxeadas
Da flor do maracujá !

Pelo mar, pelo deserto,
Pelas montanhas, sinhá !
Pelas florestas imensas
Que falam de Jeová !
Pela lança ensangüentado
Da flor do maracujá !

Por tudo que o céu revela !
Por tudo que a terra dá
Eu te juro que minh'alma
De tua alma escrava está !
Guarda contigo este emblema
Da flor do maracujá !

Não se enojem teus ouvidos
De tantas rimas em - a -
Mas ouve meus juramentos,
Meus cantos ouve, sinhá!
Te peço pelos mistérios
Da flor do maracujá!

by Fagundes Varela

Tuesday, July 18, 2006

Junquilhos com salsa


Junquilhos com salsa, originally uploaded by sue kirjner.

Criação fraterna... mistura fina... vale tudo...

Rosas vermelhas orvalhadas


Rosas vermelhas orvalhadas, originally uploaded by sue kirjner.

São rosas, são rosas vermelhas e estão orvalhadas e moram na casa da minha irmã :'(

Sunday, July 09, 2006

Tuesday, July 04, 2006

MADE IN HOUSE !!!



Feita por mim... e acreditem, ficou linda!

Saturday, July 01, 2006

fraises...


fraises いちご, originally uploaded by vinzoo.

Thursday, June 29, 2006

And God created the orchids...

Tuesday, June 27, 2006


Duas Sombras

Olegário Mariano


Na encruzilhada silenciosa do destino,
quando as estrelas se multiplicaram,
duas sombras errantes se encontraram.
A primeira falou:
-Nasci de um beijo de luz, sou força, vida, alma e esplendor...
Trago em mim toda a sede do desejo,
Toda a ânsia do Universo.
Eu sou o Amor!
O Mundo sinto enxângüe em meus pés!
Sou delírio, loucura...
E tu, quem és?



A segunda:
- Eu nasci de uma lágrima.
Sou flama do teu incêndio que devora.
Vivo dos olhos tristes de quem ama,
para os olhos nevoentos de quem chora.
Dizem que vim ao mundo para ser boa,
para dar do meu sangue a quem queira.
Sou a Saudade, a tua companheira,
que punge, que consola e que perdoa...

Na encruzilhada silenciosa do Destino,
as duas sombras comovidas se abraçaram,
e, desde então, nunca mais se separaram.

Monday, June 19, 2006

ATIVIDADES SEXUAIS


A apresentadora de um programa feminino de variedades pergunta à D.Irene, uma jovem senhora:
-A senhora pode contar aos nossos telespectadores quais são as atividades de uma típica dona de casa deste bairro?
-Ah, sim... de manhã, levo os meninos ao colégio. Depois, na volta do colégio, tenho três horas de atividades sexuais...
Então, meu marido e filhos chegam pro almoço.
Almoçam, ele volta pro trabalho e as crianças vão fazer os deveres... Aí, tenho mais algumas horas de atividades sexuais até à noite, quando jantamos e vamos todos para cama!
-Minha nossa! Desculpe, mas a senhora pode nos explicar em que consistem essas atividades sexuais?
- Ah, lógico, explico sim! Atividade sexual é fazer tudo o que é foda: varrer, passar pano no chão, lavar a roupa, arear as panelas, lavar cachorro, arrumar camas, costurar, passar roupas, limpar os vidros...

Thursday, June 15, 2006

Uma poesia para o fim-de-semana



POEMA AL MATRIMONIO

EL

¡Qué feliz soy amor mío!
pronto estaremos casados,
el desayuno en la cama, con tostadas de pan Bimbo
y huevos bien revueltitos,
que ya tendrás preparados.
Saldré yo para la Oficina
y tú rápido al mercado,
pues en solo media hora
debes llegar al trabajo.
Y seguro has de dejar
todo muy bien ordenado
pues bien sabes que en la noche
me gusta cenar temprano.
Eso sí, nunca te olvides
que yo vuelvo muy cansado!
En la noche, mirar tele
o ir al cine, como quieras
eso si, Cinemateca
(lo mas barato).
No pensarás ir de Shopping,
a gastar cientos y cientos.
También sabes que yo como
sólo comida casera.
Yo no soy como a la gente
que le gusta comer fuera...!
Que ni se han de lavar las manos
para preparar la comida!
No te parece, querida que serán días gloriosos?
Y no olvides que muy pronto,
yo seré tu amante esposo.

ELLA

Que sincero eres mi amor!
Que oportunas tus palabras!
Tú esperas tanto de mí y me siento intimidada.
No se hacer huevos revueltos
como tu mamá adorada.
A mi me gusta dormir casi toda la mañana.
Ir al shopping a hacer compras
con la Mastercard dorada,
tomar té o el cafecito en alguna linda plaza,
comprarme ropas en Zara,
conciertos de Luismi y Juanga,
y cenas en La Guacamaya.
Y por supuesto viajes a Punta Cana
a pasar la temporada.
Piénsalo bien, aún hay tiempo
pues la Iglesia no está pagada.
Yo devuelvo mi vestido,
y tú, tu traje de gala.
Y el domingo en el periódico, con letra bien destacada:
HOMBRE JOVEN, Y BUEN MOZO
ESTA BUSCANDO UNA ESCLAVA
PORQUE SU EX FUTURA ESPOSA
LO MANDO MUCHO A LA CHIN...!!!!

(Esta poesia foi mandada, via email, por uma amiga da grupo amantes do croche).

Assinar com Bloglines

Tuesday, June 06, 2006


A POESIA SE ESFREGA NOS SERES E NAS COUSAS

Nunca sentiste uma força melodiosa
Cercando tudo que teus olhos vêem,
Um misto de tristeza numa paisagem grandiosa
Ou um grito de alegria na morte de um ser que queres bem?

Nunca sentiste nostalgia na essência das cousas perdidas
Deparando com um campo devoluto
Semelhante a uma virgem esquecida?

Num circo, nunca se apoderou de ti, um amargor sutil
Vendo animais amestrados
E logo depois te mostrarem
Seres humanos imitando um reptil?

Nunca reparaste na beleza de uma estrada
Cortando as carnes do solo
Para unir carinhosamente
Todos os homens, de um a outro pólo?

Nunca te empolgastes diante de um avião
Olhando uma locomotiva, a quilha de um navio,
Ou de qualquer outra invenção?

Nunca sentiste esta força que te envolve desde o brilho do dia
Ao mistério da noite,
Na extensão da tua dor
E na delícia da tua alegria?

Pois então, faz de teus olhos o cume da mais alta montanha
Para que vejas com toda a amplitude
A grandeza infindável da poesia que não percebes
E que é tamanha!

Adalgisa Nery
Do livro: “Mundos oscilantes"

Sunday, June 04, 2006

Branco que te quero branco...


Este é um casaquinho branco com pedrinhas azuis nos miolos das flores... ficou muito elegante e mimoso. Ah, e fui eu quem fiz...

Thursday, June 01, 2006







Sou parte integrante do blog da ANS
AMIGOS NÃO SECRETOS...
Associe-se você também... é ótimo.

Monday, May 29, 2006





Recompensa

By Judas Isgorogota





Certa manhã deixei a minha casa...
Cinco e meia, talvez,
Talvez seis horas da manhã da vida...
Um sol vermelho, de um vermelho brasa,
Por sobre a estrada adormecida,
Em completa mudez,
Derramava-se todo
Numa tonalidade futurista...

Era manhã quando saí de casa...

E o sol, vermelho, de zarcão, dizia:
— "Para onde vai esse menino doido
Que nem espera que lhe venha o dia?"

Cheio de minha fé, saí disposto
Para a conquista
Da primeira curva
Do caminho; porém,
Logo à tardinha o sol esmaeceu
E eu vi que havia rugas em meu rosto
E a minha vista
Já ficava turva
Como a vista do sol que envelheceu...

E passo a passo, envelheci também...
De volta, meus sonhos apagados,
Joelhos vertendo dor, pés descarnados,
Sem um gesto, entretanto, de revolta,
Ando à procura de uma cova rasa
Onde eu, mártir da fé, pobre e infeliz,
Possa, enfim, encontrar a recompensa
De uma conquista imensa
Que não fiz!

Era manhã quando saí de casa...

Wednesday, May 24, 2006

sheep2


sheep2, originally uploaded by REJANE NAVEH.


AMOR Y EMPACHO

No existen dos razones más urgentes
en esta vida gris y acoquinada
que los pechos erectos y turgentes
de una mujer que tiende su celada

Ahí quiero caer yo de primero,
en esa que es mi trampa preferida,
para quedarme solo y prisionero
pero por todo el resto de mi vida

Mujer, quiero en tus redes enredarme
para que así tu puedas devorarme
igual que la Mantís devora al macho

Y que después te pase, por golosa,
que al comerte mi presa más jugosa
te duere nueve meses el empacho....!


by Julio Escobar

Wednesday, May 17, 2006

Sabedoria



23 coisas que não se pode morrer sem saber:

01- O nome completo do Pato Donald é Donald Fauntleroy Duck.
02- Em 1997, as linhas aéreas americanas economizaram US$40.000 eliminando
uma azeitona de cada salada.
03- Uma girafa pode limpar suas próprias orelhas com a língua.
04- Ninguém consegue lamber o próprio cotovelo,
é impossível tocá-lo com a própria língua.
05- Comer uma maçã é mais eficiente que tomar café para se manter acordado.
06- As formigas se espreguiçam pela manhã quando acordam.
07- As escovas de dente azuis são mais usadas que as vermelhas.
08- O porco é o único animal que se queima com o sol além do homem.
09- Milhões de árvores no mundo são plantadas acidentalmente por esquilos
que enterram nozes e não lembram onde eles as esconderam.
10- Só um alimento não se deteriora: o mel.
11- Os golfinhos dormem com um olho aberto.
12- Um terço de todo o sorvete vendido no mundo é de baunilha.
13- As unhas da mão crescem aproximadamente quatro vezes mais rápido
que as unhas do pé.
14- O olho do avestruz é maior do que seu cérebro.
15- Os dextros vivem, em média, nove anos mais que os canhotos.
16- O "quack" de um pato não produz eco, e ninguém sabe porquê.
17- O músculo mais potente do corpo humano é a língua.
18- É impossível espirrar com os olhos abertos.
19- "J" é a única letra que não aparece na tabela periódica.
20- Uma gota de óleo torna 25 litros de água imprópria para o consumo
21- Os chimpanzés e os golfinhos são os únicos animais capazes de se reconhecer
na frente de um espelho.
22- Rir durante o dia faz com que você durma melhor à noite.
23- Aproximadamente 70% das pessoas que lêem este texto,
tentam lamber seu cotovelo!!!

Saturday, May 13, 2006


POEMA DEL PADRE

by Hector Gagliardi

Oye negra,
¿Te puedo hablar?
Ya los chicos se han dormido
Asi que, así que deja el tejido que después te equivocas...
Hoy te quiero preguntar
Por qué motivo las madres amenazan a sus hijos
Con ese estribillo fijo de ¡Ah, cuando venga tu padre!
Y con tu padre de aquí y con tu padre de allá
Resulta de que al final
Al verme llegar a mí
Lo ven entrar a Caín y escapan por todos lados.
Y yo, que vengo cansado de trabajar todo el día
Recibo de bienvenida una lista de acusados.
Tú empiezas con tus quejas y yo tengo que enojarme
Igual que hacía mi padre al escuchar a su vieja.
Entraba a fruncir la ceja apoyando a ese fiscal
Que en medio del temporal se erigía en defensora
Lo mismo que tú ahora que siempre me dejas mal.
Si los perdono, ¡que ejemplo! ¡es así como los educas!
Si los castigo, ¡no tienes sentimientos!
A mí, a mí que llegué contento y no tuve más remedio
Que poner cara de serio
Y escuchar tu letanía.
A mí, a mí que me paso el día
Pensando en jugar con ellos
Yo sueño en llegar a casa
y olvidarme felizmente del trabajo
De la gente y de todo lo que pasa.
Los hijos son la esperanza y el porqué de nuestras vidas.
Por eso nunca les digas ¡ah, cuando venga tu padre!
No quiero encontrar culpables.
Quiero encontrar alegría.
Que no me pongas de escudo como lo hacía mi madre
Que consiguió que a mi padre lo imaginara un verdugo.
El llegaba y te aseguro que se acababan las risas
Y en lugar de una caricia o hablarle como a un amigo
Lo miraba compungido presintiendo una paliza.
Y el pobre que me entendía, sacudiendo la cabeza
Escuchaba con tristeza lo que mi madre decía.
Y que él, y que él de sobra sabía
Que con éste no se puede, que me pinta las paredes
Que trajo las suelas rotas, que la calle, la pelota.
Que me saca canas verdes
¡a la cama sin cenar!
Aburrido me ordenaba
mi madre me consolaba y yo,
yo lo culpaba a él
a él que había llegado recién de trabajar,
cansado y ya lo había yo amargado
con todas mis travesuras.
Los hijos nunca analizan el sentimiento del padre
porque el brillo de la madre es tan fuerte
que lo eclipsa sólo le hacemos justicia
cuando nos toca vivir a nosotros su problema.
Ay, si mi padre viviera
¡que recién lo comprendo!
Y porque nunca me dijo lo mucho que me quería
Si hoy yo sé cuanto sufría al ver enfermo a su hijo
Porque me miraba fijo el primer pantalón largo
Y sé que, hasta me ha besado cuando yo
Estaba dormido.
Hoy que todo lo comprendo
Porqué no estás a mi lado
Porqué no estás ahora para besarte bien fuerte
Viejo lindo
Y ofrecerte mi cariño a todas horas
Ves a tu hijo que llora, pero llora con razón
Porque te pide perdón pensando en aquellos días
En que ciego no veía que eras puro corazón
Déjame negra que llore, es tan lindo desahogarse
En fin, veamos, veamos que hacen nuestros
Futuros señores.
Mira esos pantalones.
Tápale un poco a la nena.
Si, si ya sé, no me lo digas
Hoy se fué a la calle sola
Acuéstate rezongona, mañana, mañana será otro día.

Tuesday, May 09, 2006

O PRESENTE DO DEMÔNIO


Artigo de MANOEL SOARES


Não aconselho ninguém a ter um canhão. Sei que já passou a febre da discussão a respeito do desarmamento, mas continuo achando que não deve ser tema para meia dúzia de "surfistas" entrarem na onda e ficarem fazendo média com coisas que podem salvar vidas.

Na boa, tenho mais medo de uma arma na minha mão do que na mão dos meus inimigos. Não que eu seja mais homem do que os outros, pelo contrário. A moral é que essas porcarias alimentam, em um momento de atrito, o ódio que pode haver em nós. A falsa sensação de poder que o gelado do metal traz faz com que a frieza do cano congele nosso espírito e cale a nossa consciência. O valor da vida fica reduzido a uma fração de segundos.

Se liga só. Se você vai a um posto de saúde com sua coroa e um cara entra numa de sacaneá-la, se você tiver maquinado, junta a tensão de ver sua coroa mal com a falta de respeito do mané e o ferro na cintura, pronto: a casa caiu. Se você tiver limpo, no máximo, vai dar umas conchas nele, vai cuidar da sua coroa e já era.

A coisa se inicia, muitas vezes, naquela arminha de brinquedo que o moleque ganhou de aniversário. Por que não um pião ou uma bola? Que loucura! Ali começou a ser alimentada uma paixão que não devia sequer existir. Se é, realmente, necessário ter uma arma em casa, então, não deixe que seus filhos se apaixonem por ela. Esse fascínio pode lhe custar a vida. Este mundo é imprevisível demais para dar moleza para o azar.

Arma só traz desgraça. Se bem me lembro, foi em troca de armas que os reis africanos entregaram seu povo ao tráfico de escravos. E se alguém me perguntar qual é a música que o diabo mais gosta de ouvir, eu sei: é aquele som metálico da agulha batendo na traseira da bala antes do estouro. Nessa hora, ele olha para Deus e, com um sorriso no canto da boca, diz: "Ganhei mais um".

Publicado em Diário Gaúcho
em 09 de maio de 2006

Wednesday, May 03, 2006

body painting


body painting, originally uploaded by sue kirjner.

esta foto é download do google - não menciona o fotografo e nem o 'pintor'... de qualquer jeito é linda e por isso está aqui no meu blog.

Advogados...



Você sabe como salvar cinco advogados que estão se afogando?
R: Não. Ótimo!

Por que cobras não picam advogados?
R: Ética profissional.

Como você sabe que um advogado está mentindo?
R: Seus lábios estão se mexendo.

Quantos advogados precisa para trocar uma lâmpada?
R: Quantos você pode pagar ?

O que acontece quando você enterra seis advogados na areia até o pescoço?
R: Falta areia.

Por que Minas tem mais advogados e São Paulo mais depósitos de lixo tóxico?
R: São Paulo escolheu primeiro.

Por que os advogados não vão à praia?
R: Para os gatos não enterrarem eles.

O que advogados usam como controle de natalidade?
R: A personalidade deles.

Qual a diferença entre um advogado e um juiz de boxe?
R: O juiz não recebe mais por uma luta mais longa.

Como foi inventado o fio de prata?
R: Dois advogados discutindo por uma moeda.

Qual a diferença entre uma cobra venenosa e um advogado?
R: Você pode fazer da cobra um bicho de estimação.

Qual a diferença entre um advogado e um peixe-gato?
R: Um vive nas profundezas se alimentando do lixo, o outro é um peixe.

Qual a diferença entre o poker e a lei?
R: No poker, se você é pego roubando, você fica de fora.

Qual a diferença entre um advogado e uma sanguessuga?
R: A sanguessuga irá embora quando sua vítima morrer.

Um advogado e o Collor pulam de um edifício, quem vai cair primeiro?
R: Quem se importa?

Qual a diferenca entre uma pulga e um advogado?
R: Um é um parasita que suga o seu sangue até o fim, o outro é um pequeno inseto.

O que você tem quando cruza um advogado com um bibliotecário?
R: Toda a informação que você precisa - mas você não vai entender uma palavra do que ele disser.

Você está em um quarto com Fernando Collor, PC Farias e um advogado. Você tem um revólver, mas só duas balas. Em quem você atira?
R: No advogado, duas vezes.

Qual a diferença entre um advogado e uma cebola?
R: Você chora quando mete a faca em uma cebola.

O que você precisa quando tem cinco advogados enterrados até o pescoço no concreto?
R: Mais concreto.

Um ônibus cheio de advogados caiu de um penhasco:
Boas Notícias: Não houve sobreviventes!
Más Notícias: Tinham três cadeiras vazias.

Friday, April 28, 2006

Melhorando o humor para o fim-de-semana


Um dia, a rosa encontrou a couve-flor e disse:
- Que petulância te chamarem de Flor! Veja sua pele áspera e a minha lisa e sedosa...
Seu cheiro desagradável e meu perfume sensual e envolvente.
Veja seu corpogrosseiro! E o meu delicado e elegante... Eu, sim, sou uma flor!
E a couve-flor respondeu:
- Helloooowww! Querida, de que adianta ser tão linda se ninguém te come?

(piada circulando pela internet)

Thursday, April 27, 2006

Poesia, o sal da vida!


LAGRIMA DE PRETA

by António Gedeão

Encontrei uma preta
que estava a chorar
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhai-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:

nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de sódio.

Tuesday, April 25, 2006

MULHERES


Nós mulheres somos foda:

* Não broxamos...
* Não ficamos carecas...
* Não sofremos de fimose...
* Temos um dia internacional...
* Sentar de pernas cruzadas não dói...
* Podemos usar tanto rosa como azul...
* Temos prioridade em boates ou em qualquer lugar, não pagamos a conta, no máximo rachamos...
* A programação da TV é 90% voltados para nós...
*A idade não atrapalha em nosso desempenho sexual...
* Podemos ficar excitadas sem ninguém perceber...
* Podemos fazer sexo quantas vezes por dia, se somos traídas somos vítimas, se traímos eles são cornos...
* Mulher de embaixador é embaixatriz, homem de embaixatriz não é nada...
* Somos monogâmicas, embora precisamos testar vários homens para achar um que tenha valor....
* Se resolvemos exercer profissões predominantes masculinas, somos pioneiras...
* Mas se um homem exerce profissão tipicamente feminina é bicha....
*E por último: fazemos tudo que um homem faz só que com um detalhe: De salto alto!

Texto extraído do Orkut

Monday, April 17, 2006


COLA-TUDO

Flora Figueiredo


Encontrei um verso fraturado,
caído na esquina da rua do lado,
Tinha se perdido de um coração saudoso
que passava por ali, desiludido.

Coloquei-o de pé,
emendei seus pedaços,
refiz suas linhas,
retoquei seus traços.

Afaguei suas dores como se fossem minhas.
Agora, novamente estruturado,
espero que ele não olhe para trás
e não misture sonhos
com amargas falências do passado;

que saiba enfeitar a estrela lá na frente
com fartos laços de rima colorida....
pois é para o futuro que caminham
todos os passos apressados desta vida.

Tuesday, April 11, 2006


Perguntinhas...

- Qual o parentesco entre as moedas?
- Todas são cunhadas.

- O que o tomate foi fazer no banco?
- Foi buscar o extrato.

- Qual é o cúmulo da magreza?
- É se deitar em cima de uma agulha e se tapar com um fio de linha.

- Por que cama de sogra tem que ser redonda?
- Porque jararaca dorme enroscada.

- Como se engana uma abóbora?
- A gente faz que bebe e come.

- Qual é o único vinho que não contém álcool?
- O vinho de codorna.

- Quem expulsou São Bernardo do Campo?
- Foi o Juiz de Fora.

Texto escrito por Wilarzy Martins
Radialista - Tapes

Friday, April 07, 2006


A Verdadeira Omissão de Socorro

MANOEL SOARES

Volta e meia ouço falarem que brasileiro é acomodado, não se mobiliza para mudar nada, e por aí vai. Se é verdade que, muitas vezes, assumimos essa postura, algum motivo deve haver, né? Quer ver só. Vamos pegar como exemplo o documentário Falcão, feito pelo MV Bill e pelo Celso Athayde. Lembro que, na segunda feira após o Fantástico exibi-lo, havia um monte de gente chocada com o que viu. Duas semanas passaram e as pessoas parecem já ter se conformado com destino trágico de milhares de jovens. Na boa, gente, para que o mal ganhe essa batalha, basta que o bem fique de braços cruzados sem fazer nada. Depois de seis anos se virando como podiam para fazer um documentário que mostrasse ao Brasil o que o país está fazendo com sua juventude, com a ajuda de alguns políticos, Bill e Celso estão correndo o risco de serem acusados de crime de omissão de socorro. Isso porque, durante as gravações, viram pessoas em perigo e não tiveram como ajudar. Talvez seja por fatos como esse que as pessoas, no Brasil, estejam acomodadas, com medo de tentarem e, depois, levarem na cabeça. Um dos receios os produtores era que os traficantes fizessem algo contra eles por causa do filme, mas, para surpresa de todos, esta atitude veio do outro lado. Já que a moda é condenar por omissão de socorro, vamos condenar,também, os poderes públicos que, por falta de competência administrativa, estão tragando vidas, fechando os olhos para o que até cego já viu. Sem contar que muitos de nós, que moramos em periferias, já agimos como Bill e Celso, pois tivemos que nos calar, ao ver a vida sendo desrespeitada, por bandidos ou por quem representa a lei, por não termos como nos defender. É lamentável que iniciativas tomadas em um espaço aberto de televisão, que poderiam mudar parte do rumo da nossa sociedade, sejam mal compreendidas por quem senta na cadeirinha de comando. Mas vamos lá, amanhã é outro dia.
Artigo publicado no Diário Gaúcho em 07 de abril
Porto Alegre, RS

Wednesday, April 05, 2006

minhas fotos preferidas no meu site na flick


www.flickr.com

Saturday, March 25, 2006

Horóscopo dos leoninos (25.03.06)



Leão

de 22/07 a 22/08

Acordaram você, leãozinho? Ah, não rosne, não reclame... Que bom que as pessoas ainda conseguem tocá-lo (e sacudi-lo), assim se avivam suas chamas e se iluminam suas possibilidades criativas para além dos limites do espelho. O dia está lindo e você é puro Sol, com muito amor pra dar. Hein? Ora, pra ganhar, é só se deixar receber.

Elaborado por Amanda Costa

Wednesday, March 22, 2006




Leão
de 22/07 a 22/08

Ninguém tem a intenção de pisar no seu calo o tempo inteiro, guarde as garras em suas patinhas fofas e relaxe, leãozinho. As atitudes abertas dão espaço para alegrias que podem muito bem lhe deixar ainda mais vigoroso. O negócio é dar passagem para o novo e apostar no otimismo...
Pode sair algo (ou alguém) lindo de dentro da caixa de surpresas!

(Elaborado por Amanda Costa)

FRASES DE GRANDES PENSADORES


Quando já não suporto pensar nas vítimas dos lares desfeitos, começo a pensar nas vítimas dos lares intactos. (Peter de Vries)

Sou a favor de famílias grandes. Toda mulher deveria ter pelo menos três maridos.
(Zsa Zsa Gabor)

Todo o corpo é um órgão sexual, com exceção,
talvez, das clavículas. (Luis Fernando Veríssimo)

Algumas pessoas nunca cometem o mesmo erro duas vezes. Descobrem novos erros
para cometer. (Mark Twain)

Nunca invista seu dinheiro em algoque precise comer ou ser consertado. (Billy Rose)

O dinheiro pode não comprar a saúde, mas eu me contentaria
com uma cadeira de rodas cravejada de diamantes. (Dorothy Parker)

Se você precisa perguntar quanto custa, é porque não pode comprar. (J. Pierpont Morgan)

Se eu pudesse receber de volta a taxa de inscrição,
eu pediria demissão da humanidade. (Fred Allen)

Não acredito em honestidade sem acidez, sem dieta e sem úlcera. (Nelson Rodrigues)

Somos uns porquinhos. O Senhor nos cria, engorda e mata. (Paulo Mendes Campos)

O que os presidentes não fazem com suas esposas,
acabam fazendo com o país. (Mel Brooks)

Tuesday, March 21, 2006

CERVEJAS...


BRAHMA - é como a mulher da gente, a número 1

ANTARTICA - é como a amante da gente, a mais gostosa

SKOL - é como a mãe da gente, a melhor de todas

BAVARIA - é como a vizinha da gente, dá em todas as festas

KAISER - é como a filha da gente, só dá dor de cabeça

SCHINCARIOL - é como a mulher de zona, barata e ruim

KRILL - é como a sogra da gente, nem deveria ter nascido

(mana mandou)

GUISADO DE AMIGOS


por Elizabeth

Tome coisa de um punhado
De pessoas, sem muitos vícios
Já que sem não existe.

E, depois de escolher com carinho
Coloque no caldeirão
Pulsante de seu coração.

Que não seja colocado à toa
Pois sai não valendo nada
Se for colocado ao acaso.

Depois, coloque uma pitada
De tolerância. Coloque à vontade
Dependendo do paladar.

E, após esse preparo, acrescente
O amor, e sinta o caldeirão
Iniciar a ebulição.

Eu já ia me esquecendo do humor
E, da mão estendida, sem eles, qual!
Não há, nem nunca houve, guisado bom.

Depois de tudo cozido, machuque
Um pouco, para dar ponto
Ao tempero da compreensão.

Deixe ferver o caldeirão
Em fogo lento... para pegar
O sabor da sustentação.

Eis o guisado preparado
embora simples, se passar do ponto
Fica complicado.

E, o segredo, é regar devagarzinho
Com pitadas de carinho
Não há quem resista não.

(texto copiado de um blog)